Dúvidas Frequentes

1. Os cabelos implantados caem?
Não. Essa é uma pergunta muito comum, pois todos têm medo de passar por uma nova cirurgia futuramente. A questão mais importante é que o transplante capilar não altera fatores hormonais do paciente. Então se você tem uma tendência a perder seus cabelos, precisa manter os tratamentos de queda continuamente para os cabelos que possui, isto é, aqueles que não foram implantados.
Os cabelos implantados não tem ação hormonal da di-hidrotestosterona, e portanto, não vão cair por um quadro de alopécia androgenética.

2. É possível utilizar cabelos de outra pessoa?
Não. Essa pergunta é muito comum também. O transplante capilar só funciona com cabelos do próprio paciente, pois os folículos de outra pessoa serão rejeitados pelos anticorpos do receptor se isso for feito. Isso acontece porque o organismo a princípio não reconhece as células da outra pessoa e destrói essas células como se fossem um bactéria por exemplo.

3. Mulheres podem fazer transplante capilar?
Sim. Hoje o transplante capilar está sendo cada vez mais realizado em mulheres. No caso das mulheres, o cabelo não é raspado na parte de trás como nos homens, pois geralmente a área é menor e o próprio cabelo consegue esconder. Na área receptora também não se raspam os cabelos, para que a mulher tenha uma vida normal após a cirurgia.

4. Quantos dias são necessários para ficar afastado do trabalho ao fazer o procedimento?
Em média são necessários de 3 a 7 dias, dependendo da profissão. É possível, por exemplo, utilizar boné ou um lenço 3 dias após a cirurgia. Mas se isso não é permitido em seu trabalho, em 7 dias, é possível voltar ao trabalho sem nenhum tipo de curativo.

5. Quando posso voltar a fazer academia?
Academia e atividade física são importantes na recuperação. Suar não faz mal aos cabelos, isso é um mito. A realização de atividade física é liberada 7 dias após a cirurgia.

6. Existe alguma contra-indicação para a cirurgia?
Pacientes com doenças crônicas que estão fora de controle, por exemplo, doenças cardíacas com risco de infarto, ou em tratamento de câncer, são extremos que logicamente se encaixam nas contra-indicações. O paciente sempre deve ter boa saúde e exames laboratoriais em ordem para poder realizar a operação.

By |2020-05-21T15:49:51-03:00maio 20th, 2020|0 Comentários

Sobre o Autor:

Deixar Um Comentário